Arquivo do mês: outubro 2014

Abri os Olhos

Quando abri os olhos o tempo havia passado Não senti as dores, angústias, não vi os problemas Esqueci as mazelas, perdi a tristeza e os dilemas Quando abri os olhos depois daquele beijo longo O mês havia acabado e eu … Continuar lendo

Publicado em Não categorizado | Deixe um comentário

Poeira

Num solo rachado de barro vermelho, geniosa, bato os pés no chão repetidas vezes, como uma criança fazendo manha. Percebo uma nuvem de poeira levantando-se e invadindo minhas vias aéreas, secando minha garganta, lacrimejando meus olhos, ressecando minhas mãos, cabelos, pele. Logo, entendo … Continuar lendo

Publicado em Não categorizado | Deixe um comentário

“Encontro em Samba Maior”

Também bebi com Vinícius Em Salvador. Em Belém vi o peso dos vícios E do amor. Viajei buscando histórias Pra contar A uma flor que esperei agora Encontrar. Vi o mundo do monte Uruguayo. Respirei bons ares ontem …Ymalaios Atravessei … Continuar lendo

Publicado em Não categorizado | Deixe um comentário

Samba Indomável

Nem sei como ou quando aprendi a sambar, na verdade acho que já nasci sabendo. Uma herança genética, estética e mais que poética que desperta o melhor de mim, como se meu corpo obedecesse autonomamente ao tamborilar da percussão, aos acordes … Continuar lendo

Publicado em Não categorizado | Deixe um comentário

Pra se viver tem que ser mortal

Sempre flertei com a ideia de que a vida é efêmera, não por razões filosóficas, mas por encontrar, aos meus 20 anos, a possibilidade de findar a minha vida recém iniciada quando descobri uma séria doença e, pela minha ignorância … Continuar lendo

Publicado em Não categorizado | Deixe um comentário